Todos os anos, no dia 1º de novembro, os veganes de todo o mundo celebram e defendem seu estilo de vida vegan. Segundo muitos veganes aclamados, o estilo de vida é benéfico para a saúde do ser humano, sem falar que favorece a proteção do meio ambiente e também da vida dos animais.

A comemoração deste evento começou em 1994 por uma celebridade do Reino Unido, Louise Wallis, que era na época presidente da The Vegan Society, ao celebrar seu 50º aniversário, o ressaltar dos termos vegan e veganismo, bem como o início do The Vegan Society.

Não querendo que o evento coincidisse com outros como o Dia dos Mortos e o Halloween, e por causa das dúvidas sobre a data exata em novembro de 1944 quando a sociedade foi iniciada, Wallis decidiu ir com o primeiro dia de novembro. Em todo o mundo, o Dia Mundial do Veganismo é comemorado por meio de exposições, seminários, debates públicos, workshops entre outros. O dia apresenta uma oportunidade perfeita para quem deseja adotar o estilo de vida vegano. O dia também é uma oportunidade perfeita para os indivíduos defenderem o estilo de vida, compartilhar ideias e sensibilizar seus amigos sobre sua importância e como eles se sentem.

Para muites, muitas informações obtidas – sejam totalmente incorretas ou parcialmente apresentadas – servem como um grande obstáculo para a adoção, ou mesmo tentativa de adotar uma dieta vegana. E assim, o Dia Mundial Vegano – observado anualmente todo dia 1º de novembro é talvez o dia mais adequado de todos para destacar algumas das noções mais comuns sobre a dieta, bem como pintar um quadro mais claro sobre o que o veganismo realmente envolve.

A quantidade de pessoas adeptas ao veganismo cresce a cada ano. E você? Já é vegane?

Então Vamos Derrubar os 3 Mitos mais Comuns Sobre o Veganismo!

Mito #1:

Veganismo e Vegetarianismo são “Basicamente” o Mesmo

Talvez um dos mal-entendidos mais comuns em torno do veganismo seja devido a ele ser confundido com o vegetarianismo. A única semelhança entre os dois é a eliminação da carne animal. Ambos os veganes e vegetarianes categoricamente não consomem. No entanto, a semelhança termina aqui – ser vegane é evitar todos os produtos de origem animal (a carne é apenas 1 produto de origem animal) – incluindo laticínios (leite, queijo, banha, manteiga) e produtos como o mel. Isso não se aplica aos vegetarianes, pois muitos vegetarianes têm uma dieta rica em produtos lácteos. Por isso, muitas vezes essas pessoas são chamadas de lacto-vegetarianes, justamente por esse motivo.

Mito #2:

O Veganismo Pode Levar à uma Nutrição Mais Pobre

Um equívoco comum em relação à dieta é que segui-la leva à uma pior nutrição. Isso só é verdade se a pessoa não fizer uma pesquisa superficial antes de se comprometer com uma mudança na dieta – seja ela vegana ou não.

A mudança na dieta costuma ser uma decisão significativa, que merece pelo menos algumas pesquisas sobre a dieta em questão. No caso da dieta vegana, uma vez que todos os produtos de origem animal são deixados de fora, existe a possibilidade de redução do consumo de proteínas, iodo, cálcio, vitamina B12, vitamina D e ácidos graxos ômega 3. Cada um desses nutrientes tem uma alternativa viável (especialmente proteína) que se baseia em substitutos alimentares ou suplementos simples.

Comida árabe, mexicana, italiana, japonesa… Temos sempre uma novidade no cardápio para você.

Mito #3:

Alternativas de Comida Vegana são Difíceis de Encontrar e Caras

Na verdade, alternativas baseadas em plantas são muito fáceis de encontrar/obter e estão se tornando cada vez mais acessíveis devido à crescente comunidade vegana. Existem inúmeras alternativas – no caso da proteína, os produtos da soja são frequentemente consumidos (preferencialmente não transgênica); com lentilhas e feijão sendo outra boa fonte.

Há também, uma variedade de produtos lácteos à base de plantas para escolher – até mesmo um alimento básico simples como o leite pode ser substituído por leite de soja, leite de amêndoas, leite de castanha de caju e assim por diante. O leite de cânhamo também pode servir como uma ótima fonte de ômega 3. Uma porção saudável de vegetais folhosos cuida de vitaminas, enquanto a vitamina D – pode ser combatida (socialmente distante por enquanto) com exposição à luz solar.

Aqui no Lar Vegan estamos sempre oferecendo opções saborosas e saudáveis à preços acessíveis. Venha conhecer nossa linha de congelados e marmitas fitness, que com certeza, dão aquela ajuda aos veganes experientes, assim como para quem está iniciando nessa caminhada agora.

Faça-nos uma visita e descubra mais sobre o veganismo e as infinitas maneiras de se manter saudável com uma dieta equilibrada.

Viva o Veganismo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *